Vivemos à margem, nas margens...

Vivemos à margem, nas margens...

Este é o pedaço de território onde queremos partilhar as nossas aventuras ao longo do comprido rio que temos vindo a seguir. Dois olhares diferentes, duas vistas distintas, mas sempre guiadas pelo mesmo farol...

terça-feira, 10 de julho de 2012

Fascínio Penoso

A meu ver, eu tenho aquilo que eu chamo de um "Fascínio Penoso". É uma espécie de "masoquismo intelectual" em que me sinto atraída para o mórbido, não de uma forma doentia, mas sim porque me comovo e sofro com determinados assuntos. E o saber dói e mexe e perturba e custa a entender. 

Eu acho que todos os seres humanos, mais ou menos acentuadamente, sofrem deste mal. Não é por acaso que tivemos Coliseus, Julgamentos em Praça Pública, Jornais Sensacionalistas e CSI's... Mas estou a divergir.

Isto tudo para vos contar a seguinte história:

Na busca para um tema de Projecto, andava à procura de um Acórdão do Supremo Tribunal sobre um determinado homicídio (esta é a parte da morbidez fascinante) quando dei com o termo de pesquisa "Homossexualidade" e decidi dar uma olhadela na lista de processos que existiam. 
Um marcou-me, particularmente:

Era o de uma senhora recém-divorciada que foi a tribunal pedir para o ex-marido (que tinha admitido ser homossexual) visitar os filhos (um menino e uma menina com menos de sete anos) apenas uma vez por semana, a casa da prima, com vigilância. E antes que se precipitem a dizer que o indivíduo devia ter outros problemas, não. Foi alegado apenas e só, que não queria que ele visse os filhos por ser homossexual.

Decisão do tribunal? "Não pode manter-se um regime de visitas (...) por poucas horas, na presença ostensiva da mãe, com o único fundamento de a mãe acusar o pai de homossexualidade." 

My faith in Justice is Restored =)

Agora com licença, que vou ler um artigo para a faculdade sobre uma perna que foi encontrada, extremamente bem preservada(com ténis e meia da Adidas e tudo!), na barriga de um tubarão...

5 comentários:

Post-it disse...

Ena! Essa da perna dentro da barriga do tubarão... Incrível! Eu cá tenho também um fascínio por coisas mórbidas. Lembro-me que nos meus 16 anos via filmes de terror, horror para adormecer! Confesso que nunca percebi bem o porquê, mas autópsias e coisas do género deixam-me curiosa...

(Daí o gosto pelas séries policiais, uaau!)

Maria disse...

O melhor da história guardas para ti, não é? ;b

Agora todas vamos querer saber a história do tubarão que fazia mal a digestão, com problemas de azia e que esse problema poderia estar relacionado com a marca Adidas!

Hoje em dia são cada vez mais mais as pessoas que gostam de ouvir histórias macabras desde que não sejam os protagonistas, mas sim os narradores, por isso vendo tantos jornais de Notícias, o jornal dos horrores!

Mary J. disse...

A justiça de Portugal está cada vez mais evoluída de facto, e para pior :)
Eu às vezes pergunto-me: Será que eles sabem o que significa a própria palavra "justiça"? Se calhar não vale a pena responder vá...
:) Beijinhos A.G.*

Xu disse...

Infelizmente realça a mentalidade bacoca/tacanha de muitos portugues@s.
Interessante o artigo do tubarão :D a perna foi descoberta no mesmo dia em que a "engoliu"? lol as questões são muitas, mas fico-me por aqui :D

A.G. disse...

Pos-It e Maria: o ser humano vive a dicotomia fascínio/medo pelo Horror de uma forma muito interessante. :)

Mary J: acho que o problema é que temos uma justiça correctiva e pouco preventiva. Só nos lembramos das coisas depois de acontecerem!

Xu (e restantes): a pedido de várias famílias, aqui fica a "história da perna": http://m-a-r-g-e-n-s.blogspot.pt/2012/07/questao-da-perna.html