Vivemos à margem, nas margens...

Vivemos à margem, nas margens...

Este é o pedaço de território onde queremos partilhar as nossas aventuras ao longo do comprido rio que temos vindo a seguir. Dois olhares diferentes, duas vistas distintas, mas sempre guiadas pelo mesmo farol...

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Ainda hoje é segunda...

Eu sei que ainda estamos no início de um novo "ano de trabalho e escolar" e também sei que quando chegar o Verão vou estar já de rastos e vou-me queixar, mas já não consigo imaginar vinte minutos sem nada que pensar, sem projectos para fazer ou actividades para ir.

Não sou workaholic, sou stuff-to-do-aholic. Mais alguém padece do mesmo mal?

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Chamem-me o que quiserem...

Mas é este tipo de actuação que me faz arrepiar...


Simples e bombástica. Por isso é que gosto tanto de Teatro Musical: ainda é o género musical que mantém a qualidade técnica e emocional mais ou menos intacta.

E depois vejo este tipo de actuação ao vivo...


... e apetece-me cortar os pulsos com os instrumentos sado-masoquistas do armário da Miley Cyrus...

E quem disse que qualidade não pode ser criativa, moderna e divertida:

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Wish me Away - Cheryl Wright


Hoje enquanto navegava tropecei mais uma vez na história do comming out da cantora Cheryl Wright, mas desta vez descobri o documentário "Wish me Away" de 2011. Acabo agora mesmo de o ver e as emoções que senti são tantas que tinha de partilhar convosco, para que tod@s possam assistir ao filme e perceber do que falo. Quem como eu ainda não tomou conhecimento da existência deste documentário, que experimente ver e deixe aqui os seus comentários, se assim quiser.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Preconceito dentro de preconceito dentro de preconceito....

Li um estudo recentemente (e não encontro o raio do link, mas se encontrar coloco-o aqui) cujos resultados chegam a uma conclusão que eu já andava desconfiada e que me deixa triste e desiludida.

O estudo dizia que uma elevada % de pessoas dentro da comunidade LGBT, quando conhecia lésbicas com cabelos compridos, cara e unhas pintadas, sapatos altos, roupa dita "feminina" achava que, de certa forma, essa mulher era "menos" lésbica ou que estaria a passar "uma fase".

WHAT?

Ok, fora da comunidade eu até acredito que exista esse preconceito. Não compreendo, mas acredito. Agora, dentro da comunidade? Segundo parece é mais um pensamento inconsciente, uma espécie de primeira impressão, do que propriamente um argumento construído, but still.

Eu já tinha tido esta sensação, até pessoalmente, mas quis ignorá-la porque pensei que fosse só isso: uma sensação. Mas afinal.....havia outra....mais lésbica que eu porque tinha o cabelo curto... e por ela andava louca, porque se tinha cabelo curto de certeza que era mais gay que euuu....


Se calhar antes de combatermos o preconceito fora, temos de trabalhar a partir de dentro. (No pun intended).

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Quando o dia corre bem...

... Recebo flores de pessoas que não vejo há muito tempo; Choramingo ao lembrar-me de outras que estão longe; Ligo a uma amiga só porque sim; Ouço rumores e viro as costas a sorrir; Vou a conduzir e não me importo com trânsito; Deixo pessoas só com uma garrafa de água para comprar passar à minha frente na fila do supermercado; Vejo mais donos a passear os cães na rua; Toca sempre uma música que gosto no rádio; Encontro vizinhos simpáticos à porta e conversamos sobre plantar batatas; Subo as escadas do apartamento aos saltos; Danço descalça e sozinha pela casa ao som de uma música antiga, sem me preocupar com as janelas abertas; Cozinho uma receita estranha que acaba por ser deliciosa; Vou ao cinema ver um filme de Zombies e sinto-me feliz de estar noutro mundo; Declamo uma cena de um dos meus filmes preferidos enquanto tomo banho; Deito-me com dores nas bochechas de ser feliz, nem que seja por meras horas.


Aprender a estar sozinha e feliz ajuda muito, quando o dia tem tudo para correr bem e o que falta é companhia.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

It's coming!

Duas das minhas coisas preferidas: Comida e Filmes! 

Está a chegar o Cloudy With a Chance of Meatballs 2! :D e promete!

Gosto de filmes de animação mas nenhum me fez rir como o filme original "Cloudy With a Chance of Meatballs", puro humor Inglês (o filme é dos EUA eu sei, but still) , com grande detalhe à linguagem. Estou ansiosa e já mandei umas gargalhadas com o trailer!

"Is that a ...shrimpanzee?"

"There's a Leek in the Boat!!!"

Hilarious.


quinta-feira, 11 de julho de 2013

Uma crise (de Orgulho)

Considero-me uma pessoa muito Orgulhosa, num bom sentido. Não demais ao ponto de não aceitar ajuda, por exemplo, mas gosto muito da minha integridade e de bem tratar e ser bem tratada. Sempre achei que não havia dinheiro que me comprasse isso. E não há, pelo contrário: é a falta dele que me afecta. 

Digamos que ninguém me chama nomes, mas sou constantemente ofendida e tratada com pouco respeito, e noutras circunstâncias (num país onde tivesse emprego à fartazana), já tinha mantido o meu Orgulho e ter-me-ia demitido. Custa-me vir trabalhar todos os dias, e estou a sofrer uma crise de identidade e de amor-próprio porque não preciso disto para sobreviver (graças a Deus ainda tenho os meus pais), mas não consigo sair desta situação com receio de não voltar a ter emprego. Sempre achei que estivesse acima de tudo isso, e a minha Dignidade fosse o mais importante, mas até isso se revelou, afinal, não passar de um sonho de criança.

É claro que há limites para tudo e do limite não vai chegar a passar, mas é triste ter de me auto-questionar e de me calar quando me falam mal. E o mais frustrante, é que sempre fui pro-activa na luta da mulher como um papel forte na sociedade e desconfio que em parte sou assim tratada por usar saías. É frustrante viver com o sonho de mudar o Mundo e a forma como nos tratamos em sociedade e depois estar a reprimir este tipo de humilhação. Quem me conhecer fora deste contexto não me reconheceria quando estou a trabalhar: todo o brilho, energia e o maldito argumento sempre pronto à discussão saudável, desaparecem.

Infelizmente a única pessoa que me trata desta forma "é quem me ordena". Já apelei a pessoa em questão para a situação, mas a ameaça de que estava ser "respondona", demoveu-me. Queria dar-lhe uma lição de boa-educação, mas há mais pequena tentativa, sou ameaçada.

O meu lema durante muito anos foi retirado, ironicamente, de Pride and Prejudice: "A Good Man's Opinion Once Lost Is Lost Forever".... O orgulho recupera-se? Se não por parte dos outros, por nós próprios?


Um desabafo (demasiado comprido) convosco e gostaria de conhecera vossa opinião ou partilha de experiências na mesma situação.

sábado, 29 de junho de 2013

Finalmente Férias

Terminou mais uma época de exames, é tempo de voltar à vida.  Infelizmente, o meu amor vai ter de continuar a trabalhar, o que quer dizer que até Agosto vamos aproveitar bem todos os fins-de-semana. Boas férias para quem pode e bons fins-de-semana para quem não pode. :)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Percebo perfeitamente.

"I'm the only one alive! Everyone else is walking around dead..."

                                                         Bonnie and Clyde - The Musical


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Uma lição de vida... e de tecnologia?

Interessante quem se lembrou de "arquitectar" esta demonstração e uma lição para todos, que tenho vindo a defender: "os mais novos podem ensinar-nos muito mais do que pensamos". Comovente. =)


Este vídeo da agência "O Escritório" foi galardoado com o "Grande Prémio de Criatividade" da CCP.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O que podemos fazer?

Estou a pedir a vossa ajuda sincera.

Hoje cheguei ao trabalho e disse, muito contente, para uma colega que sei que tem casais amigos do mesmo sexo e já havia mostrado a sua "abertura" para a aceitação da homossexualidade:

 - Viste a boa notícia? Foi aprovada a coadopção entre casais do mesmo sexo.
 - Boa notícia? Eu não concordo com isso.
 - Então?
 - Eu concordo que os homossexuais podem estar juntos...até concordo com lésbicas ("Concordas com Lésbicas? Quê? Uh? WHAT?"), mas isso acho mal.
 - Então porquê?
 - Porque eles vão influenciar a homossexualidade das crianças. Qualquer dia, por esse andar, se eles começam a criar as crianças, são mais os "anormais" do que pessoas normais.

(...)

Tentei explicar-lhe que não é assim. E que isso não é uma opinião pessoal, está estudado cientificamente. Mas ela acabou só com:

"Ah...Aprovam tudo, também...."

Agora muito sinceramente: O que podemos fazer activamente para combater isto? Acções de formação? Escrever Livros; Campanhas nas Redes Sociais? O quê?

Cada vez tenho menos paciência para estas mentalidades. Mas se ignorar sinto que estou a ajudar a prolongar o sofrimento de outros....

sexta-feira, 10 de maio de 2013

A Saga continua...

... assim como o meu desejo de ser o Tony Stark.

Desta vez foi esta música que conquistou: um misto de Iron-man com 007 e épicos em geral. Ouçam-na toda, porque é muito boa.

E ficam aqui com um pequeno poema que mostra o meu desespero em querer ser o Tony Stark:

Oh, Ironman, vem à janela!
Oh Homem de Ferroooo-oh-oh, vem à janela
Ver a tua concorrente, ai, ai ai, que hoje é sexta-feira...
E ela vai ganhar, ai, ai, ai, o Euromilhões!

Quando ela o ganhar, oh oh oh, deixai-a estar.
Quando ela o ganhar, oh oh oh, não te metas com ela!
Ela vai comprar ai, ai, ai, uma casa bela.
Ela vai comprar ai, ai, ai, um mordomo comó teu.

Ela vai tirar ai ai ai, um curso de engenharia,
E vai implantar, ai ai ai, um coração de metal,
Que vai brilhar, ai ai ai, brilhar no escuro,
Que vai, brilhar, ai ai ai, brilhar no escuro.

E a T.S. vai-me bater, ai ai, ai porque gosta de dormir na escuridão,
E e T.S. vai-me bater, ai ai, ai, pelo brilho do meu coração,
Mas eu vou-lhe dar *spoiler spoiler spoiler* um coelho de peluche anatomicamente proporcional
E ela vai gostar, tanto, tanto tanto, que vai deixar estar.

.... Só queria o cérebro e a carteira dele, mais nada... e a banda sonora... e o Jarvis.

*SLAP* Ok, já acordei. Tenho de ir andando... tenho cenas para fazer.... cenas muito curtidas *facturas*cof*cof* para preencher.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Encontro de Bloggers


Pois é, aproxima-se mais um encontro de bloggers e nós não vamos faltar! Aconselhamos a tod@s que tenham vontade de ir, mesmo que seja pela primeira vez, tenham coragem para se inscreverem porque temos a certeza que não se vão arrepender. No nosso caso, demorou um bocadinho a embarcar nesta aventura, mas este de dia 4 de Maio já será o nosso 3º Encontro de Bloggers. É uma oportunidade óptima para conhecer gente muito simpática e associar as caras aos blogs. Esperamos ver-vos por lá. :)


quarta-feira, 17 de abril de 2013

Bodas de Madeira ou Ferro (fica ao vosso critério)

5 aninhos!

Ainda se contam pelos dedos, mas a partir de agora contam-se pelas mãos, também.

5 razões para gostar de ti:

» Fazes-me rir;
» Fazes-me sorrir;
» Desafias-me mentalmente;
» Desafias-me fisicamente;
» Fazes-me sentido como mais ninguém faz e duvido que fará.

A cada ano de aniversário vou ter de arranjar mais razões para gostar de ti. Wow... Vai ser complicado quando chegarmos ao dois dígitos! ;)

Parabéns, princesa.





quinta-feira, 4 de abril de 2013

Vómito de palavras

Para quem é apologista da Democracia, do livre arbítrio, do "I can do whatever the f*** I want" sempre dentro do limite de não prejudicar os outros... para quem está sempre a trabalhar em não se importar com a opinião dos outros, irrita-me profundamente que a minha liberdade de casar com quem quero e ter filhos com quem quero, tenha de ser discutida em praça pública, para a frente e para trás, aprovada legalmente e publicada no Diário da República.

É uma coisa tão pessoal, de que ninguém tem absolutamente nada a ver com isso, e que cumpre o critério de "não prejudicar os outros", que acho isto, na sua essência, ridículo e irritante.

Para isso, cada casal que se quisesse casar ou engravidar, devia passar por um processo jurídico para o público em geral ter a certeza que são aptos e que ninguém vai sofrer com as consequências dos seus actos. Mas não... podem fazer o que querem e ser a pior família do Universo desde que tenham dois órgãos genitais distintos.

Sou uma mulher afectuosa, e gosto de outra mulher afectuosa. Somos boas pessoas e queremos "dar" mais ao Mundo. E criar família. Porque é que hei-de dar justificações a alguém ou esperar a aprovação de quem quer que seja para isto?

Porque duas mulheres "metem nojo"?

Pois a mim mete-me nojo guisado de favas, e que eu saiba não é proibido por lei.

...



quarta-feira, 3 de abril de 2013

There's something about art...

... The more you're exposed to it, the better you feel it, and the more you want it...even if you can't make any sense of it.



Isto deve ter uma explicação física ou biológica: o ser humano é uma esponja carente, comodista e inflexível - absorvemos tudo o que nos rodeia e habituamo-nos a querer mais do mesmo. Com o passar do tempo tendemos a perder a porosidade e, se nos deixarmos levar, perdemos também a capacidade de absorver coisas novas. O desafio é escolher ao que nos expomos e ir hidratando as arestas da nossa mente, para que não fique seca com o tempo e com a vida.

P.S.: Ouçam a banda sonora de "Pina " de Wim Wenders. Lindo.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Este ano fiz uma promessa...

... Para quando tivesse coragem, pegar numa coisa que para mim foi uma tristeza, negativamente marcante ou uma desilusão e brincar/ rir-me com ela..Por isso:

- Dance, Baby, Dance ;)



quarta-feira, 20 de março de 2013

*Tenho andando a pensar nisto todos os dias*

Eu sei que o teatro vive do "live", mas porque é que os "pobres" que não moram nos EUA ou no UK não têm direito a ver as peças em DVD? Whyyyyyyy?!?!?!?!??

Quero ver esta peça e não consigo. =(

Oh, Broadway....

segunda-feira, 11 de março de 2013

Pipocas e M&M's?!


Na última vez que fomos ao cinema, no Colombo, experimentámos este novo topping para as pipocas: M&M's!!!!! Paga-se 1€ a mais e tem-se direito a umas quantas bolinhas em cima das pipocas. Dada a quantidade de M&M's a que tivemos direito, acho que vamos começar a comprá-los antes e a fazer a mistura no cinema. :p No geral aconselhamos a experiência. Mas preparem-se porque andar à procura de 3 ou 4 M&M's dentro de um pacote de pipocas, não é tarefa fácil!

sexta-feira, 8 de março de 2013

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Quando é que eu sei que estou velha e geeky?

Aviso: Este post está cheio de de gabarolices ridículas

Quando estou a ver reviews de jogos para a PS1 que parece que ainda ontem joguei e o comentador diz "Este tipo de camera glitch é típico dos jogos deste período (....) Gostava de ver este jogo antigo reeditado para as consolas actuais".

....

"Ok, bro'". Ainda "ontem" estava a jogar isto.

Pronto, ok... Vou só ali ler o Ready Player One e sentir-me ainda mais velha e geeky por perceber cada referência.

E depois vou puxar os cabelos a quem insinuar que o filme Warm Bodies é um Twilight mas com zombies. "You clearly have terrible movie taste and know nothing about zombies, sister!"


E só para terminar: Tenna enta lúmë 


P.S.: Sugestão de uma música que ando a ouvir em repeat:


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

"10% talento, 90% suor"

Já se diz há muito tempo e com razão. Mas a dificuldade (e o segredo) desta fórmula é perceber o que se entende por "suor".

Todos conhecemos casos de pessoas de sucesso que parece que fazem tudo e têm pouco tempo para "suar". Como conseguem?

Aquilo que tenho estado, lentamente, a aprender e desenvolver, é que este suor não é, simplesmente, o tempo aplicado a trabalhar em determinado projecto. Não. Aliás, tem muito pouco a ver com tempo. Na minha experiência suor traduz-se em:

90% de Suor = Dedicação (20%) + Concentração (40%) + Trabalho (10%) + Espírito (de sacrifício) (10%) + Energia (10%)


Dedicação = Tempo que passamos a pensar nos projectos e se nos sentimos entusiasmados com eles, se fazemos coisas extra por vontade própria que ajudam a realizar algum projecto , etc...

Concentração = É isso, mesmo. Concentração. Este implica uma doze de "egoísmo" saudável temporário. Aquele momento é para aproveitar e sem "pisar" ninguém, temos de fazer tudo para  aproveitá-lo, crescermos e fazermos-nos notar, por isso, nada de distracções.

Trabalho = Simple as that. Fazer, repetir, corrigir se for necessário e melhorar.

Espírito de sacríficio = Pois, nada é perfeito. Mas se for um sacrifício inferior à dedicação a nível de valor, vão tê-lo automaticamente e nem se vão aperceber que é um "sacrifício".

Energia = Relacionada com dedicação tem a ver com a atitude que assumimos: temos de ser positivos, ter bastante auto-estima, e sorrir e ajudar. Se não acreditarmos que conseguimos fazer alguma coisa, não vale a pena tentar fazê-la. Esta confiança e positivismo vão notar-se no desempenho do vosso projecto, e vai facilitar fazê-lo. E é importante saber sorrir pelo caminho e não ter vergonha de partilhar esta energia com os outros: é contagiante e saudável. E dá boa disposição. =)


Acredito que esta fórmula varie de pessoa para pessoa, e deve variar também ao longo da vida. Aliás, não passa de uma brincadeira porque os grandes feitos "fazem-se", não se calculam.

Não sou nada de esoterismos nem sou dona da sabedoria (muito longe disso) por isso, o propósito deste post não é ensinar nada a ninguém, mas é um lembrete pessoal e para quem quiser aproveitar: A próxima vez que pensarem: "raios, passo horas sentada à secretária e não consigo fazer nada" ou "gostava de fazer mais coisas, mas sei que não vou ter tempo", lembrem-se disto. O que nos move, como seres humanos, é a mente, não é o Tempo. O Tempo é elemento comum e inevitável a todos nós. Ele passa, mas não nos move. O segredo de quem consegue vencer é quem aceita que já que não podemos controlar o Tempo, vamos controlar como o aproveitamos. Este é o verdadeiro Carpe Diem e o verdadeiro YOLO (You Only Live Once), e não a atitude que agora anda na moda de tentar justificar cada atitude irracional tomada com esta filosofia.

A minha finalidade nesta vida, é ser feliz. E para ser feliz, pessoalmente, preciso de procurar sempre a excelência naquilo que faço. Infelizmente, nem sempre temos todos os elementos desta fórmula, e por isso é bom relembrarmos que ela existe e irmos à procura de todas as chaves. =)

P.S.: Esqueci-me do elemento "estrelinha" que algumas pessoas têm: que parece que lhes dá sorte em tudo o que fazem, mas intimamente, penso que essa estrelinha está relacionada com o elemento "Energia". 

Por isso, go out into the world and make it better.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Conversas de Cama (E Além-Cama) #8

Sobrevivemos à tempestade da noite de 18 para 19. Uma por consciência, outra por inconsciência...

(3 da manhã)
A.G.: *acorda* Então, amor, estás acordada? Passa-se alguma coisa?
T.S.: Não, não, descansa, dorme.

(4 da manhã)
A.G.: *acorda* Não consegues dormir? Então, porquê?
T.S.: Por nada, descansa.

(5 da manhã)
A.G.: *acorda* Estou a ficar preocupada, queres que faça alguma coisa para te ajudar a dormir? Queres um copo de leite quente? Ou água?
T.S.: Não é nada, já passa.

(6 da manhã)
A.G.: *acorda* Já dormiste alguma coisa?
T.S.: Uns bocadinhos.

(7 da manhã)
A.G.: *acorda* Amor, estás outra vez acordada?
T.S.: Ainda mal dormi. Mas está tudo bem. Descansa.

(8 da manhã: as duas levantam-se)
A.G.: Porque será que não conseguiste dormir? É por causa da cama, não é? Ficas desconfortável *fica triste*
T.S.: A.G, tu ouviste a tempestade? Eu não te disse nada para não te assustares.
A.G.: Tempestade? Oh, só ouvi chuva.
T.S.: Não ouviste os estores a bater?
A.G.: Não...
T.S.: Nem as árvores a cair?
A.G.: ÁRVORES A CAIR? Não!
T.S.:... a cair em cima de dois carros mesmo aqui ao lado do teu prédio.
A.G.: A sério?
T.S.: Nem os alarmes dos carros a apitar?
A.G.: ....
T.S.: Nem a chuva e o vento a assobiar?
A.G.: ...
T.S.: ....
A.G.: Estás a exagerar. Não ouvi nada. Só choveu o bocadinho.

(A.G. vai à janela, vê árvores arrancadas, carros danificados, muros partidos, semáforos dobrados, poças de água...)

A.G.: Ok, não me admira que não tenhas dormido.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Conversas de cama (e Além-Cama) #7

Todos os dias, salvo raríssimas excepções, falamos ao telemóvel antes de dormir. Às vezes, quando o sono chega e começamos a adormecer, dizemos alguns disparates super engraçados que eu vou anotando, foi o que aconteceu ontem à A.G.:

T.S.: Amor, amanhã queres que compre alguma coisa na loja americana para ti?
A.G.: *breve silêncio* Sim, rebuçados do James Bond... *silêncio* Que é que eu disse??!! Estava a adormecer... Desculpa! 
T.S.: Disseste que querias rebuçados do James Bond...
A.G.: AHAHAHAH!

Por acaso nunca vi por lá rebuçados do James Bond, mas fiz uma pequena pesquisa e afinal já existiram pastilhas elásticas do James Bond. Aqui tens, amor:




terça-feira, 15 de janeiro de 2013

#1 - Primeiro Livro do Ano

#1- The Hobbit


Autor: J. R. R. Tolkien

  • Paperback: 400 páginas
  • Publisher: HarperCollins; Film tie-in edition edition (30 Aug 2012)
  • Language: English


Este livro, em conjunto com o filme homónimo, ensinou-me uma grande lição de vida: Quando não entendes qualquer coisa, não a julgues. Deixa-a de lado, cresce durante alguns anos, e volta a pegar nela. Se ainda não a conseguires entender, volta a repetir o processo, até a compreenderes, ou até te fartares de lhe dar importância.

Era uma miúda quando vi a trilogia do Senhor dos Anéis. Gostava muito, mas não era uma paixão. Tentei ler o Senhor dos Anéis, e não passei da introdução. Fiquei aborrecida e achei demasiado fictício e complexo para poder ser "enjoyable".

Os anos passaram, e eu fui crescendo, até saír o filme "The Hobbit" e ganhei uma sede de ler o livro: comecei a lê-lo e foi amor à "segunda" vista.


The Hobbit - o livro é deliciosamente genial. Melhor, é um ensaio para o deliciosamente genial Senhor dos Anéis. Tolkien não se dá ao trabalho de desenvolver extraordinariamente as personagens deste conto (com excepção do nosso pequeno Bilbo Baggins, Gollum e Gandalf), mas “rascunha” aquilo que seria uma história original de um mundo tão complexo e detalhado que poderia ser uma realidade alternativa.

Contado num tom tradicional (que é algo que já não se faz muito e que eu adoro), The Hobbit é como mergulhar num bolo de chocolate dentada, após dentada: quanto mais lemos, mais começamos a apreciar e só queremos saber o que vem a seguir.

The Hobbit é muito completo: mapas, canções, ...: J. R. R. Tolkien estava mesmo a preparar a sua famosa trilogia. E por se tratar de um “rascunho” tem “falhas”: a história tem passagens muito rápidas e que por vezes decepcionam, mas se pensarmos de que é um mundo e que dentro da sua “fantasia” as coisas decorrem como decorriam num mundo normal (isto é: nem tudo é expectável: muito é inesperado), conseguímos apreciar as reviravoltas.

O filme está muito bem adaptado e Martin Freeman é um deleite absoluto. Muitas passagens do livro estão literalmente, sem tirar nem pôr, no guião do filme (percebe-se porquê: a escrita de Tolkien é altamente visual), e a cena de enigmas entre Gollum e Frodo foi muito bem conseguida e é cópia integral do livro. O tom do The Hobbit é mais leve do que o do Senhor dos Anéis, o que o torna um filme mais interessante e menos pesado. Foi por admirar a capacidade de criar um mundo complexo e “credível”, com alfabetos, histórias e canções próprias, que me apaixonei por esta saga de J. R. R. Tolkien, e é por isso que já vêm a caminho os restantes livros, directamente para a minha biblioteca.
Recomendo leitura em Inglês e o filme em 3D, com 48Frames.



Classificação do livro:

Épico: ****
Escrita: *****
Fio condutor da história: ****
Personagens: ***

Excertos:

"Far over the misty mountains cold
To dungeons deep and caverns old
We must away ere break of day
To seek the pale enchanted gold."



"'I come from under the hill, and under the hills and over the hills my paths led. And through the air. I am he that walks unseen. I am the clue-finder, the web-cutter, the stinging fly. I was chosen for the lucky number. I am he that buries his friends alive and drowns them and draws them alive again from the water. I came from the end of bag, but no bag went over me. I am the friend of bears and the guest of eagles. I am Ring-winner and Luckwearer; and I am Barrel-rider.'"

"Never laugh at live dragons, Bilbo you fool!" he said to himself, and it became a favorite saying of his later, and passed into a proverb."