Vivemos à margem, nas margens...

Vivemos à margem, nas margens...

Este é o pedaço de território onde queremos partilhar as nossas aventuras ao longo do comprido rio que temos vindo a seguir. Dois olhares diferentes, duas vistas distintas, mas sempre guiadas pelo mesmo farol...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

These dreams...


Surpreende-me como é que as pessoas desagradáveis não se dão ao esforço de tentar conviver em harmonia com os outros. Ninguem pede para serem simpaticos - só harmonia.

Supreende-me como detesto fazer os outros tristes e há quem o faça, com consciência e sem remorsos.

Surpreende-me como há quem queira "deitar abaixo" o próximo e continuar a caminhar como se nada fosse.

Surpreende-me quando se fala em bom senso e quando o vejo em tão pouca gente.

Surpreende-me que não consigam ver que a paz, a convivência, o riso, e a estabilidade são as melhores aventuras e desafios que se possam ter.

Surpreende-me que o ser humano se esteja a tornar mais efémero que a própria efémera. Sempre admirei a espécie humana por se distinguir das outras ao honrar um legado, viver um presente e projectar um futuro. Neste momento, vivemos só para o segundo e isso está a desumanizar-nos.
 
Sempre pensei que o ser humano estivesse a evoluír. Mas afinal só uma mão-cheia de pessoas é que consegue ser aquilo que esperamos e ao mesmo tempo surpreendentes. A essas pessoas chamamos de "especiais". E é uma pena o Homo Specialis ser uma espécie em via de extinção.

Entretanto, quando me quero distanciar deste Mundo e sonhar um pouco, ponho os fones nos ouvidos e vivo, durante uns minutos, num pequeno universo paralelo ao som de...


Desculpem o desabafo. Mas há realmente dias em que a nossa vida só, não chega.

6 comentários:

Nikkita disse...

Desabafa à vontade... Há alturas em que é mesmo preciso. Principalmente quando damos conta de uma realidade menos boa. Mas...há sempre coisas e pessoas maravilhosas que nos fazem esquecer o mau! (é o que vale!)

:)

disse...

Entendo o que aqui é escrito e descrito, há dias em que também acordo assim. É tão difícil encontrar pessoas "humanas" ao nosso redor, pessoas que não estejam com maldade em todos os actos, eu já nem sei descrever aquilo em que a sociedade se está a tornar...

A.G. disse...

Nikkita: É o que vale! Senão, o mundo era quase insuportável de tolerar.
Sô: Nem mais ;)

Maria disse...

Venho apenas aqui rapidamente referir que acordei com esta música, a pensar nela e a ouvi-la mentalmente. Consequência de a ter ouvido aqui. Portanto passei para ouvir agora que cheguei de um dia cansativo (para a cabeça)

:D

disse...

(agora reparei que o comentário ficou com o log da minha Maria... Não era suposto, consequências de vivermos juntas e usarmos o pc as duas)

A.G. disse...

Sô, fica registado ;) Às vezes também acordo com ela, mas felizmente é daquelas que sabe bem. :) Faz-me sorrir... Espero que a música tenha ajudado a ultrapassar o cansaço ;)